Capa Artigos EM UM NAUFRÁGIO, OS RATOS SEMPRE SÃO OS PRIMEIROS A FUGIREM…

EM UM NAUFRÁGIO, OS RATOS SEMPRE SÃO OS PRIMEIROS A FUGIREM…

119

Temer é um barco afundando. Gladson Cameli, Sergio Petecão, Jessica Sales, Flaviano Melo e Major Rocha abandonarão a barca furada?

Há alguns dias Renan Calheiros (PMDB/AL) iniciou um movimento de distanciamento em relação ao presidente Michel Temer (PMDB). Não pelo fato do presidente golpista conduzir o Brasil com uma política econômica que está nos levando para o fundo do poço, com grande queda nos índices. Muito menos pelo fato de promover o maior desmonte dos mecanismos de proteção social e trabalhista do Brasil e dos brasileiros. Na verdade, esse distanciamento nada mais é do que uma estratégia eleitoral.

Uma pesquisa de opinião pública realizada há poucos dias no estado de Alagoas sobre as eleições do próximo ano trouxe à tona a reflexão sobre se estar ao lado de Michel Temer é ou não estratégico. Especialistas em leitura de dados estatísticos afirmam categoricamente que já não seria um bom negócio posar ao lado da turma que hoje comanda o Planalto. Resta a quem sonha ser candidato em 2018 não aparecer na foto para não ficar com o filme queimado, mesmo se deleitando com as benesses do poder. A hora é de fingir que ninguém conhece ninguém.

Natural tal distanciamento. A literatura nos ensina que, quando um barco começa a afundar, os ratos sempre são os primeiros a saltarem da embarcação.

Talvez seguindo esse movimento daqueles preocupados em não se prejudicar com o malquerer a Temer, políticos acreanos encomendaram ao Instituto Data Control uma pesquisa de opinião pública em todo o Acre. Tal consulta teria sido um pedido do senador Gladson Cameli (PP/AC). A expectativa é de que, ao final, a referida pesquisa traga como conclusão a mesma tese encontrada no Nordeste: A de que Temer é um péssimo cabo eleitoral, ainda mais após os grandes cortes de recursos federais sofridos pelo nosso estado.

A base de apoio de Temer no Acre tem se vangloriado desse governo e cerrado fileiras nos debates mais indigestos, como foi no caso da PEC do Teto ou da Terceirização, apontando ainda para o mesmo caminho quando das reformas da Previdência e Trabalhista. Porém, com o declínio vertiginoso desse governo golpista que está instalado, fica uma pergunta que já deixo de antemão aqui: quem serão os ratos que irão abandonar esse barco que já faz água desde o início, desde a primeira remada?

Cesário Campelo Braga
Secretário estadual de Organização do PT/AC